Como proteger as plantas do frio

Vivemos em um país tropical onde na maior parte dele o inverno se assemelha à primavera da Europa, EUA…

Porém, quem está no Sudeste (leia-se São Paulo) e principalmente no Sul sabe que os meses do outono e inverno nos presenteiam com períodos congelantes, com direito a zero grau e temperaturas negativas em vários dias (as vezes semanas).

Se você chegou até este post é porque se preocupa com as plantas – parabéns! – e sabe que elas sofrem um bocado com o frio, sobretudo com as temidas geadas.

Trago aqui dicas para que você saiba como proteger seu jardim durante o outono/inverno de maneira simples e objetiva.

Em primeiro lugar uma obviedade, mas que não pode deixar de ser dita: escolha plantas que se adaptem à sua região. Uma forma fácil de saber quais são elas, é conversar com os responsáveis por floriculturas. Eles mais do que ninguém indicarão as melhores plantas para sua cidade.

Claro que você pode plantar todas as espécies em qualquer lugar do país, mas o trabalho para adaptar plantas de calor no frio e vice-versa será muito grande. Uma boa opção é optar por plantas anuais, que como o próprio nome diz, tem um ciclo de vida curto. Planta-se no final do inverno ou começo da primavera e cultiva até o próximo inverno quando esse ciclo se fecha.

Veja um vídeo com alguns exemplos na prática de como proteger suas plantas do frio (ignore a prática de usar o saco plástico preto; se optar por plástico use apenas plástico-bolha e de preferência, sem encostar nas folhas):

Mas voltemos ao frio que é o assunto principal aqui.

Uma planta que não resiste ao frio pode ficar desprotegida até os termômetros chegaram à marca de 10 graus, mais ou menos. Este número é algo que tomo para mim, não sei se existe alguma recomendação oficial sobre o limite de temperatura.

Se baixar disso é preciso proteger, ainda mais se sua região conviver com formações de geadas. As plantas tropicais podem ser destruídas por geada, que nada mais é do que o congelamento do orvalho sobre a superfície; neste caso as plantas. A fina camada de gelo queima as folhas e caules de algumas espécies mais sensíveis. O “estrago”, ou seja, as folhas “queimadas” são percebidos em sua plenitude quando os primeiros raios de sol aparecem. Mas é um mito achar que é o sol o culpado por queimar as plantas. Ele só ajuda a mostrar o estrago que já foi feito pelo gelo. No caso da neve, raríssima no Brasil, ela funciona como um isolante térmico, chegando até a proteger as plantas dos estragos. Plantas, claro, resistentes ao frio.

Se a previsão indicar geada negra então, o cuidado deve ser total! A geada negra queima as plantas por dentro, congelando a seiva, e deixando tudo bem escuro, daí o nome.

Para esse fenômeno acontecer é preciso que o frio seja muito intenso; 3 graus negativos, mais ou menos, na companhia de ventos fortes, que aumentem ainda mais essa sensação térmica negativa.

Encontrei uma tabela muito interessante da Unicamp, publicada em um artigo sobre as geadas, que estima as temperaturas suportadas por alguns grupos de plantas. Segundo este artigo, as folhas das plantas que ficam expostas ao frio atingem temperaturas de mais ou menos 5ºC a menos do que a temperatura ambiente.

Folhas de café e cana podem morrem com -3,5ºC, frutas cítricas morrem quando a temperatura das folhas cai para -6 a -7ºC, tomates e verduras sofrem com +2ºC enquanto a banana e o mamão podem não resistir a +5ºC.

O período em que precisamos tomar mais cuidado com as plantas vai de maio a setembro nas regiões Sul, Sudeste e parte da Centro-Oeste.

O caso mais famoso de geada negra aconteceu em 1975, no Paraná. Causou a destruição total de plantações de café, obrigando muitos agricultores a sair do estado, mudando completamente a agricultura da região.

A grande maioria das plantas até consegue se recuperar de uma geada, mas isso pode levar meses. Ainda mais se você precisar podar muitas áreas afetadas (queimadas). Por isso, o melhor caminho é prevenir.

Um exemplo que eu tenho aqui em casa é a ‘Dama-da-Noite’, também chamada de ‘Jasmim-da-Noite’ em alguns lugares. Ela lembra minha infância. Meu avô cultivava um lindo arbusto de dama-da-noite e o vento noturno espalhava o incrível perfume que ela libera quando escurece. O problema é que ela é sensível ao frio intenso do interior catarinense.

Dama-da-Noite
Dama-da-Noite cultivada sob temperaturas negativas, desde que bem protegida

Há 20 e tantos anos São Paulo tinha outono e inverno bem rigorosos. Dias com 3, 4 graus eram mais comuns. Hoje em dia isso acontece raramente; apenas em algumas regiões. Culpa dos milhões de escapamentos que se multiplicam diariamente e das pobres árvores que diminuíram na mesma velocidade.

De qualquer forma, queria relembrar minha infância e decidi arriscar e plantar uma muda aqui em Santa Catarina, numa região de clima tipicamente temperado, ou seja, com verão quente e inverno congelante com temperaturas negativas em alguns dias do ano.

Como proteger as plantas do frio

Eu protejo essa – e outras plantas que também são sensíveis ao frio –, em primeiro lugar com uma boa adubação.

Adubando as plantas para o frio

O melhor adubo para preparar as plantas para suportarem mudanças bruscas de temperatura deve ser rico em Fósforo e Potássio (cinzas de madeira contêm muito potássio, aproveite!) e ‘pobre’ em Nitrogênio, porque o nitrogênio ajuda a acelerar o crescimento das plantas. Eu não quero estimular novas brotações nessa época de frio. Portanto a adubação no final do verão e início de outono serve para fornecer vitaminas que tornem as plantas mais resistentes, não que as façam crescer mais. Muitas espécies entram em dormência, mas ainda assim precisam de vitaminas, claro.

Você pode optar por adubo químico (mais rápido) ou orgânico (muito mais saudável). Em regras gerais, se é planta é para seu consumo, vá de orgânico. Eu não gosto de comer alface e tomate tratados com uma série de componentes químicos; você gosta?

No caso da dama-da-noite, que não irá para meu prato, optei pelo Fosway, depois de muito pesquisar. Ele é um fertilizante líquido e tem uma ação bem rápida de transporte de nutrientes. Quando aplicamos direto da rega, ou seja, nas raízes ele é transportado para as folhas. Quando aplicamos via pulverização nas folhas ele é rapidamente levado até as raízes. Uso uma vez por mês (durante os meses frios aqui do Sul: maio, junho, julho e agosto).

Já em plantas que eu não quero usar nada químico minha escolha para adubação que fortalece a resistência ao frio é a aplicação de uma mistura com uma parte de húmus de minhoca, outra parte de farinha de ossos, outra de esterco de aves e cinzas de madeira (sem resquícios de sal ou gordura). Se tiver cinzas de lareira cuja a queima for de madeira e papel, uso também. É um excelente adubo!

Um punhado de cada um desses adubos, bem misturados, espalhados e incorporados na terra ao redor do vaso ou canteiro vai ajudar muito suas plantas, pode apostar.

Regando apenas de manhã

Não regue as plantas quando a previsão do tempo indicar temperaturas abaixo dos 10 graus – ou 0 grau para quem está nas áreas brasileiras que têm clima temperado. Além de preferir regar pela manhã (8h, 9h) o ideal é diminuir a frequência de rega, já que nessa época do ano a evaporação da água é beeeeeeem mais devagar. Existe uma técnica para combater a geada regando as plantas, que é explicada mais à frente, mas é algo muito restrito e não muito cômodo de implementar.

Cobrindo as plantas

Nada melhor que um cobertor durante as noites frias, certo? Elas (plantas) também precisam disso, coitadas. A diferença é o material desse “cobertor”.

Você pode e deve cobrir plantas que sejam sensíveis ao frio usando lençóis, camisetas, lonas ou plástico bolha (no caso de lona e plásticos, não encoste nas folhas).

Planta protegida do frio com lençol
Planta protegida do frio com lençol

Tente não amassar as folhas e galhos mais fracos. Para evitar isso, basta fincar um tutor, ferro, bambu ou qualquer estaca que seja mais alta que a planta (cuidado para não machucar as raízes durante esse processo). Use dois ou três estacas laterais para o plástico não encostas na planta. Isso vai amortecer o peso do lençol ou plástico. Se for uma árvore ou arbusto forte, tudo bem, mas a maioria das plantas costume ser leve e frágil.

Tente não encostar o plástico (ou faça isso o mínimo possível) nas plantas em caso de previsão de geada. O gelo deixa congela o plástico fazendo com que esse frio seja transferido para as plantas queimando completamente as folhas.

Outra opção interessante é cortar várias garrafas PET ao meio e juntar com grampos, por exemplo, para fazer uma espécie de telhado. Depois é só usar 3 estacas ao redor da planta, pregando nelas este “telhado”.

Telhado de garrafa PET
Telhado feito com garrafas PET

O plástico bolha é o melhor cobertor para as plantas pelo fato de deixar passar mais claridade, o que é importantíssimo. Além do ar que preenche as bolhas ajudar a manter uma temperatura mais agradável para as plantas.

Se não tiver nada disso, use lonas ou sacos de lixo. Não são as melhores opções, mas muitas vezes é o que temos na hora. Ainda mais quando sem mais nem menos o tempo vira e uma famosa “massa de ar polar” derruba os termômetros numa mesma semana antes dominada pelo sol.

Planta coberta por plástico
Planta coberta por plástico

No caso dos sacos de lixo e lonas, não se esqueça de retirá-los o mais rápido possível na manhã seguinte, quando estiver mais de 10 graus pelo menos. Ainda mais se o plástico for escuro que bloqueia os raios solares.

Se tiver muitos vasos com plantas sensíveis tente juntar todos e cobri-los com uma lona. Fica mais fácil e dá muito menos trabalho; lembre-se que provavelmente você irá repetir esse ritual por vários dias…

Vasos protegidos com lona
Vasos reunidos e protegidos do frio com lona

Não se assuste se a parte de dentro do plástico estiver pingando. Essa água nada mais é do que a evaporação das plantas, que estavam abafadas. Quem já teve alguma aula de escotismo ou sobrevivência na mata deve ter aprendido a abafar uma planta com uma camiseta para depois poder beber um pouquinho de água numa situação de emergência.

Fechando a cobertura dos vasos ou canteiros

Se você cobriu a planta com um plástico ou lençol grandes é provável que ele tenha chegado até o chão. Se isso não aconteceu saiba que é importantíssimo proteger o solo ao redor do caule. Muitas vezes o frio mata plantas sensíveis à ele justamente porque o solo congelou o caule e a raiz. Portanto, tampe os vasos usando um plástico ou tecido.

Cobertura do vaso com plástico
Plástico cobrindo terra do vaso

Se as plantas que precisam de proteção não estiverem em vasos, mas em um canteiro, por exemplo, a recomendação é a mesma. Cubra completamente o solo com cascas de pinus ou lascas de madeira. Essas coberturas são encontradas em qualquer loja de jardinagem ou agropecuária.

Protegendo a terra nos vasos
Lascas de madeira, seixos e brita branca como cobertura de vasos

Pode-se usar palhas e folhas secas também. Mas precisam estar secas, não adianta usar galhos que acabaram de ser podados, pois podem propagar doenças.

Jogando terra no caule

O propósito é o mesmo da dica acima, proteger a base do caule e raízes. Se tiver turfa, que é um substrato bem macio encontrado em lojas de jardinagens, melhor ainda. Se não pode ser terra mesmo.

Basta amontoar a terra junto à base do caule, protegendo uns 10cm da altura dele. Esse monte só deve ser retirado ao final da época de frio intenso.

Terra protegendo caule e raízes
Protegendo a base do caule e as raízes com terra

Se quiser proteger inclusive o gramado pode espalhar terra sobre ele também. Nesse caso não é preciso exagerar, apenas espalhar um pouquinho. De qualquer forma saiba que a grama tem um poder de recuperação muito grande.

Embrulhando com jornal

Para proteger ainda mais as plantas que estão em vasos pequenos (ou médios) você pode fazer um casaco usando jornal. Se a planta for pequenina, tipo violeta, é legal até retirar todo o torrão, como se você fosse transplantá-la para outro vaso, embrulhar com jornal e recolocar no vaso. Se o vaso for maior, não tem como fazer isso; mas é possível também agasalhar o vaso com folhas de jornal. Pode ter certeza que suas plantas ficarão mais quentes e felizes.

Levando para dentro de casa

Essa é a dica mais fácil, se as plantas que precisam de proteção estiverem em vasos. Nada mais fácil do que simplesmente levar para dentro de casa e colocar junto a uma janela que receba bastante claridade, mas sem encostar em paredes ou vidros, que podem ficar gelados, prejudicando a planta.

Vasos protegidos dentro de casa
Vasos protegidos em prateleira improvisada num cômodo pouco usado, desde que tenha bastante luz

Evidentemente só conseguimos levar para dentro de casa os vasos pequenos ou médios, e olhe lá.

Uma vez dentro de casa, diminua bem a rega. Além do frio, que faz com que a planta armazene água por longos períodos sem tanta evaporação, não existirá o vento que também faz com que a planta precise repor água.

Outras dicas para combater a geada

Encontrei algumas dicas para o combate da geada, propriamente dito, mas sinceramente ainda não consegui testá-las.

A primeira sugere pulverizar água ao redor das plantas que precisam de proteção. Com isso o ar em volta das plantas vai se encher de partículas de água que podem manter a temperatura um pouquinho mais elevada, dificultando a formação do gelo nas folhas.

A segunda diz para encher jarros de plástico com água e colocá-los no sol durante o dia inteiro e depois posicioná-los nos espaços onde as plantas precisam de proteção (se essas plantas estão em sol pleno os jarros podem ser deixados lá mesmo, para facilitar). A ideia é que durante o dia essa água vai absorver o calor do sol e durante a noite ai evaporar esse calor, mantendo assim a temperatura mais alta em volta das plantas sensíveis. Na teoria parece interessante.

Outra forma de combate, para quem tem infraestrutura para tal, é usar irrigação. Quando irrigamos as plantas direto no solo (não nas folhas) adicionamos calor ao mesmo tempo em que impedimos a queda da temperatura abaixo de 0ºC nas plantas. O problema é que esse processo precisa começar quando a temperatura estiver acima de 0ºC e só parar ao nascer do sol, ou seja, complicado para ser executado num jardim doméstico.

Plantas resistentes à geadas

Agora que você já sabe como deve proteger as plantas mais sensíveis, que tal cultivar plantas resistentes ao frio para poupar todo esse trabalhão, hein?

Essas são plantas bem comuns, encontradas facilmente em floriculturas ou garden centers (tipo a Cobasi de São Paulo), e recomendadas para locais de clima frio:

Antes, um pequeno aviso sobre temperos. Alecrim e a Cebolinha são bem resistentes inclusive à geadas. Já Salsinha, Sálvia, Tomilho e Orégano podem morrer. A Hortelã até pode ter as folhas queimadas, mas depois ela renasce rapidamente.

O Manjericão é outro que não gosta nada de temperaturas abaixo dos 10 graus, como pode ser visto na foto abaixo, com as folhas queimadas por uma geada de junho de 2016.

Manjericão
Manjericão machucado pela geada

Agora vamos às plantas mais resistentes:

Agapanto

Agapanto

Alecrim

Alecrim

Alyssum (ou Álisso ou ainda Flor de Mel)

Alyssum

Amor Perfeito

Amor Perfeito

Amoreira

Amoreira

Azaleia

Azaleia

Bambusa (Bambuzinho-de-jardim)

Bambusa

Barba-de-serpente (ou Liriope)

Barba-de-serpente ou Liriope

Boca-de-leão

Boca-de-leão

Bôrdo

Bôrdo

Buxinho

Buxinho

Caliandra

Caliandra

Camélia

Camélia

Camomila

Camomila

Cica

Cica

Cravo e Cravina

Cravo e Cravina

Crisântemo

Crisântemo

Fórmio

Fórmio

Gazânia

Gazânia

Gérbera

Gérbera

Girassol

Girassol

Glicínia

Glicínia

Hera (trepadeira)

Hera

A Hera japonesa (também conhecida como Hera pendente ou variegada) também resiste tranquilamente ao frio intenso.

Hera japonesa

Hortênsia

Apesar das folhas queimarem nas geadas, ela aprecia e precisa do frio. Após o risco de geadas (em agosto ou setembro), basta podar deixando os galhos com 20 ou 30cm do chão para que renasçam vigorosamente na primavera.
Hortênsia

Lavanda

Lavanda

Lírios

Lírio

Margarida

Margarida

Mirtilo

Mirtilo

Moreia

Moreia

Podocarpus (Pinheiro de Buda)

Podocarpus

Rododendro

Rododendro

Roseiras

Roseiras

Tulipa

Tulipa

Unha-de-gato (trepadeira)

Unha-de-gato

Videiras (Uvas)

Uvas

Vinca

Vinca

Yucca

Yucca

Árvores para climas temperados

Tem espaço? Plante árvores! O planeta agradece. Veja algumas opções de árvores que se adaptam a climas temperados (com invernos bem definidos), incluindo locais onde ocorrem geadas.

Araucária

Araucária

Aroeira Salsa

Aroeira Salsa

Caquizeiro

Caquizeiro

Cedros e Ciprestes (Pinheiros)

Cedros e Ciprestes - Pinheiros

Cerejeira

Cerejeira

Frutíferas cítricas

Os cítricos resistem a até 7 graus negativos, de acordo com pesquisas da Embrapa, mas quanto mais jovem, mais frágeil. As variedades mais resistentes são o limão-cravo (ou limão galego), Tangerina (Bergamotas) e alguns tipos de Lima. As laranjas (exceto as Limas) preferem climas mais quentes, mas por experiência própria, resistem bem a temperaturas negativas e geadas leves.

Frutíferas cítricas

Ipê-amarelo

Ipê-amarelo

Kaizuka

Kaizuka

Macieira

Macieira

Nespereira

Nespereira

Oliveira

Oliveira

Palmeira Real

Palmeira Real

Pessegueiro

Pessegueiro

Plátano

Plátano

Resedá (Extremosa)

Resedá - Extremosa

Outras frutíferas que podem ser cultivadas em locais de clima frio são os pés de Pêra, Ameixa, Figo, Goiaba, Pitanga, Kiwi, Maracujá e Romãzeira, por exemplo. Porém, se mora em locais de geadas frequentes, recomendo manter em vasos (ou não plantar) os pés de Maracujá, Pitanga, Goiaba e Figo. A exceção do Maracujazeiro os demais resistem a geadas leves, mas podem ser bastante danificados.

Plantas sensíveis à geadas

O título acima pode ser óbvio, já que a grande maioria das plantas não resistem às geadas, mas neste caso quero me referir a plantas que podem ser cultivadas em locais onde o frio é intenso, inclusive com temperaturas negativas, porém posicionadas em locais cobertos e protegidos; nas varandas, por exemplo.

Já se você mora em um terreno com elevações e não quer plantar em vasos, saiba que a geada mais forte se concentrará na parte mais baixa dele. Evite plantar as espécies mais sensíveis no local.

Para saber se a geada vai acontecer, basta olhar para o alto. Céu estrelado, sem nenhuma nuvem é sinal de geada. Abaixo dos 2 graus o orvalho já começa a congelar.

Enfim, vamos às plantas que resistem ao frio (mas não à geadas). E só listei aquelas que eu pessoalmente cultivo e que já enfrentaram temperaturas negativas, devidamente posicionadas nas varandas, e que apesar de expostas ao frio extremo se mantiveram intactas:

Agave

Agave

Alamanda

Alamanda

Aspargo samambaia

Aspargo samambaia

Avenca

Avenca

Babosa (Aloe Vera)

Babosa

Bambu mossô

Bambu mossô

Brinco de princesa

Podem até ficar expostas à geadas, mas folhas podem secar (“queimar”), por isso recomendo proteger.
Brinco de princesa

Bromélia-imperial

Existem muitas espécies, mas a imperial é nativa de regiões serranas, por isso tende a resistir mais. Porém pode ter as folhas queimadas nas geadas.
Bromélia-imperial

Capuchinha

Capuchinha

Clorofito

Clorofito

Cóleus

Cóleus
Cóleus com as folhas de cima queimadas pela geada do dia 08 de junho de 2016 aqui em Santa Catarina

Dália

Se o bulbo estiver plantado no jardim e ainda estiver florindo, queimará após a geada, mas basta cortá-la rente ao solo para que rebrote quando o clima esquentar (na primavera).
Dália

Dinheiro em penca

Suporta muito bem as baixas temperaturas, exceto geadas. Em relação ao sol, quanto mais sombra, mais verde. E quanto mais sol, mais avermelhadas ficam suas folhas.
Dinheiro em penca

Falsa Érica (ou Érica)

Antes de cultivar esta planta li que ela não era apropriada para regiões frias e de altitudes elevadas, mas não foi o caso. Aqui estou acima de 800 metros e ela só sofre com as geadas (quando é preciso podar bem curta após secarem), mas crescem rápido e florescem novamente na primavera sem problema algum.
Falsa Érica

Escova-de-Garrafa

Adorada pelos beija-flores resiste bem ao frio, mas queima nas geadas. Se os danos forem pequenos é só podar no final do inverno. Se a região é atingida por geadas constantes mantenha em vaso para evitar esse transtorno.
Escova-de-Garrafa

Gerânio

Apesar de resistentes ao frio, suas folhas e flores podem ser danificadas em caso de geada. Melhor levar os vasos para ambientes protegidos.
Gerânio

Guiné

Guiné

Hibiscos

Hibiscos

Jasmim dos açores

Este talvez seja o jasmim mais resistente ao frio, mas pode sim ter algumas folhas ‘queimadas’ em caso de geadas.
Jasmim dos açores

Manacá-da-serra anão

Não confundir com a árvore, a irmã de porte grande.
Manacá-da-serra

Manacá-da-serra e Manacá-de-jardim

Apesar de plantas resistentes ao frio, podem precisar de poda após geadas, já que as flores (e folhas em plantas mais jovens) podem “queimar” totalmente.
Manacá-da-serra e Manacá-de-jardim

Morangos

Precisa do frio, mas deve ser protegido já que pode ter flores e folhas queimadas em geadas fortes.
Morangos

Orquídeas

Existem centenas (ou milahres) de espécies . Aqui cultivamos a olho de boneca
Orquídea

Orquídea Bambu (Arundina)

Orquídea Bambu - Arundina

Pacová

Pacová

Pleomele

Pleomele

Primavera

Algumas espécies podem apenas perder as folhas e entrar em dormência, mas em geral ela queima, te obrigando a podá-la para que rebrote. E só faça isso na primavera, aproveitando para incorporar uma generosa dose de farinha de osso e húmus de minhoca nas bordas do vaso (ou a 20 cm do caule se estiver no solo). No inverno a poda pode prejudicar ainda mais a planta.

Primavera
A Primavera é bem resistente, mas pode ter folhas queimadas por geadas. Se possível, opte pela variedade lilás, que é a Primavera mais resistente ao frio

Quaresmeira

Muitas vezes confundida com a Manacá-da-serra, ela é ainda mais sensível à geadas.
Quaresmeira

Sálvia (ou Alegria do jardim ou Cardeal)

Sálvia

Strelitzia

Strelitzia

Suculentas

Ripsális e dedinho de moça, por exemplo.
Suculentas

Tagetes

Tagetes

Tagetes congeladas
Tagetes congeladas por geada de junho de 2016 a uma temperatura de 1,5 grau abaixo de zero

Se tiver experiência com outras plantas que toleram bem o frio, deixe um comentário que ela será adicionada em nossa lista.

Recuperar plantas afetadas pelo frio

O frio já passou, não tem previsão de novas geadas e não foi possível proteger tudo adequadamente; várias plantas ficaram destruídas pelo frio/geada. Como recuperar essas plantas?

Se o dano for superficial não é preciso se preocupar, ela vai se regenerar sozinha com o tempo. Mas se quiser ajudar no processo, faça uma poda delicada um pouco abaixo do local afetado. Isso tende a estimular um novo crescimento na área. O local do corte deve ser imediatamente acima de uma gema (ou broto). Se o galho estiver verde é sinal de que está saudável, se estiver seco, corte mais abaixo até encontrar uma parte mais verde (não precisa ser verde escuro, basta uma tonalidade verde para saber que o galho está vivo).

Outra providência é adubar a planta com um adubo equilibrado, e dessa vez pode ter também nitrogênio, não apenas fósforo e potássio, para estimular novas brotações nessas áreas mais afetadas. Qualquer composto 10-10-10 será o suficiente (sempre longe do caule, se for adubo químico).

Para finalizar, proteja bem a planta e o solo (cobrindo ambos) e tenha paciência. Na primavera é onde saberemos quais espécies conseguirão se regenerar. A natureza é forte e quando cuidamos bem dela a retribuição é certa.

Agora que as plantas estão protegidas, é só aproveitar o outono/inverno! Sim, eu sou do contra e adoro frio! 🙂

13 Comentários

  1. Caro Rodrigo boa noite. Moro na zona rural de Cunha entre a Serra do Mar e Serra da Bocaina. Ano passado tivemos duas geadas consecutivas bem fortes e perdemos muitas plantas aquo no sitio mas felizmente algumas se recuperaram:) Gostaria de te perguntar, em relação a horta é adequado molhar bem cedinho quando o sol ainda não nasceu e o gelo ainda nao derreteu? muito obrigada pela sua atenção.

    • Olá Silmara!
      Essa região é linda, excelente qualidade de vida.
      Eu recomendaria regar pela manhã, até 9h, 10h quando o sol ainda está bem ameno. Se as geadas atingirem plantas mais frágeis como a Alface, por exemplo, fica difícil reverter os estragos, mas as mais resistentes, como a couve-flor, brócolis, alecrim, conseguem resistir bem às baixas temperaturas inevitáveis dessa época do ano. Espero que esteja tudo bem na sua horta e que as geadas não nos castiguem muito (por aqui aconteceu uma ontem, quando tivemos 3,8 negativos!).
      Volte sempre 🙂

    • Olá Leandro! Desculpe minha demora em responder! O sulfato ajuda a prevenir fungos e a tornar a planta mais resistente às mudanças climáticas. Em época de geada provavelmente os parreirais estarão em dormência então não há com o que se preocupar.
      Abraços

  2. Olá Rodrigo, Tenho um sítio em Juquitiba – SP a geada de junho- julho, foi muito forte tenho uma Jaqueira que esta com 20 anos e agora que começava soltar frutos, mas muito pequenos e sempre caiam. A árvore era muito frondosa com muitas folhas e sempre soltando folhas nova com uma coma enorme e fechada. Com a geada ela agora esta com todas as folhas secas não sobrou uma verde, e estão caindo e virando somente o esqueleto, o que posso fazer não dá sinal de brotar, como posso podar. As bananeira tiramos as folhas secas e já estão voltando. Uma árvore de “ficos” enorme tb sentiu a geada, não sei se vai soltar novas folhas. As mangueira que lá já não dá o fruto em razão do clima, acho, tb queimou e ainda está seca, me dê uma orientação.
    Obrigado

    • Olá Norimar!! Desculpe pela minha demora em responder.
      A jaqueira é uma árvore que prefere clima quente, mas consegue se adaptar a lugares de inverno frio desde que seja bem protegida até atingir um porte grande. Mesmo assim as geadas podem queimar a parte superior da planta.

      Se no seu caso a árvore foi queimada por completo só resta aguardar para ver se ela se recupera até maio, quando as temperaturas voltam a cair bastante. Por ter 20 anos era para ela estar mais resistente.

      Você pode tentar podar os galhos que estiverem completamente secos (ocos), mas infelizmente não é garantido que dê certo.

      Neste ano, por exemplo, esqueci de proteger uma jabuticabeira ainda jovem e ela secou por completo. Podei radicalmente na esperança de salvá-la, mas faz dois meses que não dá nenhum sinal de vida; não surgiu nem uma folha sequer. Infelizmente estamos sujeitos à isso. Torço para que no seu caso a jaqueira consiga se recuperar!
      Abraços

  3. Olá, sou de Santa Catarina e plantei um coqueiro anão. Com os frios as folhas ficaram queimadas. O que posso fazer pra proteger essa planta além de cobrir?

    Mari

    • Olá Mari, infelizmente aqui em Santa Catarina, dependendo da região, se tiver geadas fortes, temos muitas tristezas no jardim. A única opção, além de cobrir, seria proteger bem a base do caule com terra bem fofa, de preferência húmus de minhoca ou turfa, deixando assim até meados de outubro quando não existe mais nenhum risco de geada tardia. Feito isso, é preciso podar todas as folhas queimadas, bem próximo do tronco e ter paciência para que novas folhas brotem. Para ter certeza de que a planta está viva, raspe levemente um pedacinho do tronco e veja se está verde. Se estiver oco, ou muito marrom é provável que infelizmente tenha morrido.

  4. Ola. Me mudei a pouco e fiz um jardim com flores, buchinhos e uma planta tipo coqueirinho. Mas o frio veio de surpresa e nao consegui proteger o coqueiro da geada. Nas noites anteriores cobri com lencol mas as folhas ja estao escuras. Sera q consigo recuperar? Obrigada pela atencao!

    • Olá, Edna! É difícil afirmar com certeza sem saber a espécie exata da planta, mas em geral a recomendação é esperar o inverno passar, para ter certeza de que não haverá mais geadas, e podar todas as folhas queimadas. Se a geada não foi fatal (ou seja, matou a planta) ela produzirá novas folhas quando os meses quentes voltarem. Mas o processo é lento, infelizmente.

Deixe um comentário