Aprenda a plantar sementes

Não existe jeito mais fácil de começar uma horta ou iniciar o paisagismo de um jardim, seja ele grande ou apenas na varanda, do que comprar e plantar nossas próprias sementes.

Antes de falar sobre a forma correta de se plantar as sementes, um pequeno lembrete: não desista se suas sementinhas não vingarem. Infelizmente não são todas que brotam. Paciência e persistência são as chaves para ter sucesso na jardinagem. E o prazer de tentar de novo, em um clima mais fresco ou mais quente, com mais ou menos rega, enfim, é que faz com que tudo seja tão fascinante.

E não descarte comprar sementes de outra marca ou loja. A forma com que são armazenadas e enviadas pode comprometer o resultado final.

Não desista! No final, quando as flores desabrocharem ou quando o tomate e pepino estiverem no ponto para colher, tudo terá valido a pena.

Plantando as sementes

Em primeiro lugar é importante verificar na embalagem das sementes o melhor período para o plantio. Existem plantas que podem ser semeadas o ano todo, enquanto outras só brotam nos meses mais quentes do ano.

Melhor época para plantar sementes
Verso de embalagem indicando a melhor época do ano para semear

Se estiver na época certa, deixe as sementes de molho, em temperatura ambiente (nunca em água fria), por pelo menos uma hora. Isso ajuda a acelerar o processo de brotação.

Quando ainda são sementes, as plantas querem água. Os nutrientes da terra não importam nada nessa fase. Tanto que podemos brotar as sementes em algodão, por exemplo. Só depois de brotarem e começaram a formar raízes é que a terra entra em cena.

De qualquer modo, enquanto as sementes estão de molho, prepare sua sementeira, que pode ser específica para germinação de sementes encontradas facilmente em lojas de jardinagem, agropecuárias, ou então improvisar, por exemplo, com caixas de ovos, embalagem de danoninho, copinhos plásticos e por aí vai. A imaginação é o limite.

Independente de onde você vai germinar as sementes, é obrigatório ter furos para drenar a água, senão a terra (ou algodão) alaga e as coitadas morrerão antes mesmo de brotarem.

Preencha a sementeira (vou chamar de sementeira, mas como já ficou bem entendido, pode ser copinho etc) com terra de boa qualidade. Não pode ser uma terra dura retirada de qualquer lugar, senão as raízes não conseguirão se formar, já que ainda não terão forças para penetrar em solo muito rígido. O melhor é que seja terra vegetal ou substrato específico para germinação, encontrados em lojas de jardinagem, agropecuárias ou em alguns supermercados.

Regue bem para umedecer essa terra, antes de plantar.

Faça duas pequenas covas na diagonal, ou mais fácil, pare de colocar terra quando faltar cerca de 2 cm antes de chegar ao topo da sementeira, se preferir.

Com o auxílio de uma colher, peque duas ou três sementes e coloque em cada buraco.

Sementes de Cravina brotando
Sementes de Cravina 10 dias depois; à direita já com três semanas

Agora cubra as sementes com pitadas de terra. Não precisa cobrir demais. Em média as sementes precisam ficar numa profundidade de três vezes seu próprio tamanho, ou seja, é muito pouca terra! Por isso digo para cobrir com pitadas mesmo. Pode ser somente húmus que é bem mais leve.

Não precisa bater na terra para compactar. Isso também dificulta a brotação.

Escolha do melhor local para a sementeira

Pessoalmente prefiro deixar as sementeiras em locais que recebem luminosidade indiretamente. Pode ser dentro de casa, próximo de uma janela bem iluminada na maior parte do dia. As sementes precisam de luz, mas o sol direto pode esquentar demais o solo e matá-las.

Já quando surgirem as primeiras folhinhas podemos transferir para um local com mais claridade, e aí sim com sol direto por algumas horas, não o dia todo, ainda protegida da chuva.

Se a sementeira estava dentro de casa, recomendo que antes de colocá-la no sol (após as sementes brotarem) coloque em um ambiente intermediário, para que a planta possa se aclimatar antes de ser exposta diretamente no sol. Mudanças bruscas não são toleradas por plantas mais sensíveis.

O clima considerado ideal para germinar sementes da grande maioria das plantas está entre 20 e 24 graus. Se estiver fazendo frio e mesmo assim quiser semear, tente improvisar uma estufa com uma garrafa PET cortada, ou aquelas embalagens plásticas transparentes de bolos encontrados em mercados e padarias. É uma boa opção, não apenas para proteger do frio, mas dos ventos.

Escolha as melhores

Lembra que a gente colocou mais de uma semente em cada cova? Pois bem, é possível que mais de uma germine no mesmo lugar. Se isso acontecer, tempos de verificar qual está mais forte e bonita e simplesmente cortar a outra. Use uma tesourinha de ponta bem fina e corte.

Por que cortar ao invés de arrancar? Quando arrancamos, corremos o risco de deslocar a semente que germinou melhor, comprometendo a continuidade dela.

Agora é só deixar a sementeira protegido da chuva e MANTER A TERRA ÚMIDA, SEM ENCHARCAR. O ideal é usar um borrifador ou pulverizador, encontrado em qualquer supermercado a partir de 5 reais. A força da água que sai de um regador, nessa fase inicial da planta, pode quebrar os brotos.

Garrafa com furo na tampa para regar cuidadosamente
Garrafa com furo na tampa para regar cuidadosamente

Quando os brotos já estiverem um pouquinho maiores pode trocar o borrifador por uma garrafa plástica com um furo na tampa. Assim a água sai bem fraca e você consegue controlar melhor o local onde vai regar para não matar os brotos.

A hora certa de transplantar

Quando tiver cerca de 4 a 6 pares de folhas é hora de transplantar para o local definitivo.

Regue um pouco a terra para facilitar, e retire cuidadosamente a muda, com toda a terra (ou o máximo possível) e não apenas a planta com as raízes expostas.

Usou um copinho plástico? Fácil, é só cortar todo ele com uma tesoura, com cuidado, e retirar a muda para o plantio.

Semeando num copinho plástico
Da semeadura ao plantio usando um copinho plástico

Se estiver cultivando tomate, girassol ou outras plantas de caule fino, recomendo que no momento do plantio definitivo, enterre um palito de churrasco ou similar para poder amarrar a planta, protegendo de ventos que podem quebrá-la. Para amarrar você pode usar linha de pedreiro, fitilho ou nylon, com muito cuidado para não machucar a planta. Com o passar do tempo será necessário um suporte maior, que pode ser um bambu ou mesmo um cabo de vassoura.

RESUMO para plantar sementes corretamente:

Saber a época para plantio da semente escolhida. Essa informação consta no verso dos envelopes. Se estiver plantando uma semente caseira precisará pesquisar na internet;

Escolher uma sementeira ou recipiente com furos para drenar a água;

Usar de duas a cinco sementes em cada espaço da sementeira (ou em cada copinho);

Cobrir as sementes com bem pouca terra;

Regar todos os dias, sem encharcar, com cuidado para não expor a semente. Prefira um borrifador;

Deixar a sementeira em local iluminado, longe do sol direto (a não ser que a espécie precise de sol para brotar);

Se possível, cobra as sementes com uma estufa improvisada feita com plástico transparente, como embalagens de bolos e garrafas PET, por exemplo;

Estufa improvisada para plantar sementes
Estufa improvisada para plantar sementes

Após brotar, levar a sementeira para o sol direto por algumas horas, e aumentar a rega, sempre sem encharcar e nos momentos mais frescos do dia (no começo da manhã ou final da tarde);

Se várias sementes brotaram na mesma cova, esperar crescerem um pouco mais e cortar as que forem mais fracas, com cuidado, deixando assim espaço para as mais fortes crescerem;

Transplantar para o local definitivo (que pode ser um canteiro ou vaso) quando a muda tiver no mínimo quatro folhas reais (quando brotam costumam ter duas folhinhas que são iguais em várias espécies; só depois ganham a forma definitiva). O tempo varia de região pra região e de planta pra planta, mas pode aguardar por volta de 1 mês para ter certeza de que as raízes estão bem desenvolvidas e ela tenha força para se recuperar depois – todo transplante é delicado e é normal se a planta murchar por uma ou duas semanas até que a raiz se regenere e se firme no novo local.

A partir daí continue a cuidar regando diariamente ou quando vir que o solo está seco, afim de mantê-lo sempre úmido. Nessa fase do transplante pode regar com vontade, pois as raízes precisam de água para se recuperarem bem.

Plantando sementes direto no vaso

Acima você confere exemplo de plantio das sementes diretamente no vaso. Neste caso, milho de pipoca para a alegria dos cães e gatos da casa.

Celula de germinação Jiffy

Já ouviu falar da célula Jiffy? É um produto excelente para facilitar o processo de plantar sementes.

Celula de germinação Jiffy
Celula de germinação Jiffy ao natural e depois de receber água; Na direita os brotos já surgindo

Ela é constituída por turfa compactada; um excelente substrato que retêm a água por muito mais tempo, acelerando e facilitando o processo de brotação.

Excelente para algumas plantas que são mais sensíveis ao transplante (pepino e cenoura, por exemplo) e preferem ser semeadas direto no local definitivo. Porém não é sempre que podemos fazer isso. Se o local é desprotegido de chuvas, fica praticamente inviável.

Essa célula não exige transplante, já que vai se dissolver sozinha quando for plantada.

Custando cerca de 2 reais por unidade, é muito simples de usar.

Basta colocar as células numa travessa funda e colocar um pouco de água.

Aguardar alguns minutos para que ela absorva a água – o tempo depende da temperatura da água; se for água morna o processo é mais rápido.

Fiz um exemplo em vídeo onde a água estava em temperatura ambiente, pendendo para fria, então levou por volta de 10 minutos.

Em alguns dias o vídeo estará por aqui.

Quando ela atingir o tamanho final, cerca de 5, 6cm de altura, abra um espaço e coloque uma semente na abertura da célula, cobrindo delicadamente.

Se possível, cubra com um vidro ou plástico transparente, para criar uma espécie de estufa caseira.

Deixe essa estufa em local bem iluminado, mas longe do sol direto.

Uma dica é usar uma peça de vidro, tipo aquário, que não seja mais usado. E cobrir com um plástico branco para que passe a maior quantidade de luz (não deve ser transparente senão o sol pode queimar as mudas).

Agora é aguardar e molhar novamente a célula Jiffy apenas quando ela estiver com uma coloração bem mais clara, 6 ou 7 dias depois provavelmente. Enquanto estiver escura significa que ainda está úmida.

A cenoura no vídeo de exemplo, brotou cinco dias depois, sem que eu precisasse regar novamente.

A partir daí leve a célula para uma varanda bem iluminada, mas que não receba diretamente o sol o dia inteiro e adicione um pouco de água de três em três dias, se estiver em clima ameno (22, 24 graus) ou num intervalo maior ou menor se estiver mais frio ou mais calor.

Quando tiver com cerca de 4 ou 5 folhas (cada planta tem um momento certo de transplante, indicado no próprio envelope das sementes) já pode levar para o local definitivo. Esse processo é muito fácil, diferente das sementeiras comuns em que se corre o risco de “quebrar” as raízes.

Basta cavar no local definitivo, posicionar a célula Jiffy e cobrir com terra.

Prontinho! Ela irá se dissolver com o tempo e você não corre nenhum risco de machucar a planta.

É isso. Escolha o jeito mais fácil e vamos semear!

Deixe um comentário