Pepinos

Pepinos, tomate, alface, cebola, cenoura, brócolis… Estas costumam ser nossas prioridades aqui em casa. Não adianta plantar uma infinidade de coisas se não serão consumidas, concorda? Precisamos priorizar e dedicar espaço e atenção para o que realmente iremos aproveitar. Essa dica parece boba, mas acredite, quando começamos a plantar, acabamos por semear de tudo um pouco, mesmo que seja algo que sequer gostemos de comer. Mas neste post específico vamos falar de Pepinos.

Nossa escolha foi cultivar pepino japonês, que costuma ser mais caro e mais saboroso, mas o cultivo é idêntico ao tradicional (ou caipira como é chamado em alguns lugares), optei por plantar sementes. Poderia ter comprado mudas; até encontrei algumas numa agropecuária da região, mas sinceramente não estavam nada bonitas. E também já me recomendaram que é preciso plantar direto no local definitivo, pois pepinos não resistem bem ao estresse de quando são transplantados. Infelizmente não pude fazer isso. Os locais definitivos não são protegidos de ventos e chuvas fortes, então seria inviável germinar as sementes diretamente nos canteiros.

Como semear pepinos

Veja as melhores práticas de plantio:

Qual o melhor substrato para plantar pepino

Quando optamos por plantar sementes, precisamos garantir que o substrato escolhido seja o mais fofo possível, para que as plantas consigam gerar e formar raízes fortes. Por isso não vai adiantar semear em terra pura, ainda mais se for vermelha, extremamente argilosa, pesada, sabe? O recomendado é fazer uma mistura de terra vegetal, húmus de minhoca, esterco de aves e areia (ou vermiculita ou perlita).

OBS: Mais abaixo escrevi sobre “como preparar o solo” antes de transplantar as mudas; não deixe de ler.

Pessoalmente costumo usar uma medida de Terra Vegetal (ela já vem mais fofa e contém diversos nutrientes provenientes de compostagem; é facilmente encontrada em floriculturas, lojas de jardinagens ou até supermercados), uma medida idêntica de Húmus de Minhoca e outra medida igual de Areia (ou Vermiculita que traz a vantagem de substituir a areia e ainda reter mais água, mantendo o solo úmido por muito mais tempo; ou Perlita que também substitui areia; parece um isopor e é excelente para deixar o solo bem arejado facilitando o desenvolvimento das raízes, mas sem reter água, o que é indicado para plantas que gostam de solo mais seco como alecrim e a lavanda, por exemplo). Ainda em relação a terra, se quiser pegar do seu jardim e adicionar os outros “ingredientes”, use uma peneira grossa ou um pegador de frituras velho para peneirá-la, retirando todas as pedras e gomos mais grossos; senão as sementes vão brotar com dificuldade, se brotarem.

Misture bem e terá um excelente substrato para plantar suas mudas e sementes.

Onde plantar as sementes

Caso opte por plantar no local definitivo, seja vaso ou canteiro, adicione ao substrato sugerido acima, uma medida de esterco de aves que vai fornecer mais nutrientes por muito mais tempo. O mesmo vale para farinha de ossos e de algodão. As plantas adoram! Se quiser, veja nosso post especial com os detalhes sobre como preparar o vaso corretamente para o plantio. Escolha um vaso grande, com 30 litros no mínimo; assim o pepino terá um bom espaço para se desenvolver. Pode plantar em vasos menores? Sim, mas colherá bem menos do que a planta pode produzir se tiver mais espaço, pode ter certeza.

Eu usei copinhos específicos para sementes, mas pode usar garrafas PET, embalagem de Danoninho, ovos, sementeira ou qualquer recipiente com furos para drenar o excesso de água. Coloquei duas sementes em cada espaço. É sempre recomendável plantar duas ou três sementes em cada embalagem, e quando germinarem retirar as mais fracas, de preferência cortando com uma tesoura para não matar a muda mais forte ao tentar arrancar a(s) mais fraca(s). Fiz isso num dia 31 de janeiro. Deixei numa varanda, bem iluminada, arejada, mas que só recebesse sol por algumas horas. A maioria das sementes prefere locais iluminados, mas sem sol direto.

Veja mais detalhes sobre como plantar sementes.

No caso usei um Cachepot de vidro para cobrir os copinhos, simulando uma estufa. Isso faz com que não seja preciso regar todos os dias, pois a água dos copinhos evapora, para no vidro e cai novamente nas próprias sementeiras. É bom retirar essa proteção de dois em dois dias mais ou menos, por uns cinco minutos, apenas para renovar o ar. Coloquei também um plástico branco cobrindo esse vidro para filtrar o sol que pode acabar cozinhando as sementes. Pode usar plásticos verdes, azuis ou de qualquer cor bem clara que permita bastante luminosidade.

Estufa improvisada para plantar sementes
Estufa improvisada para plantar sementes

Se não quiser cobrir com plásticos nem nada pode ser que precise regar todos os dias (no verão e parte da primavera, que são épocas quentes em todo o Brasil); para isso use um borrifador que vai evitar ‘quebrar’ os brotinhos ou afundar demais as sementes. Faça isso no início da manhã ou final da tarde, quando o sol já não esteja tão forte.

Em pouco mais de uma semana começaram a surgir as primeiras pontinhas verdes.

Sementes de pepino germinando

Qual a hora de transplantar o pepineiro

Em geral, precisamos retirar da sementeira quando as mudas de pepinos tiverem de 10 a 15 cm de altura e no mínimo quatro folhas. No meu caso, demorou por volta de três semanas até isso acontecer.

Transplante do pepino

É preciso ter muito cuidado na hora de retirar da sementeira. Se você optou por semear em copinhos plásticos ou outro recipiente reciclável, recomendo regar algumas horas antes, para compactar a terra, e depois apertar cuidadosamente o recipiente soltando o torrão inteiro mais facilmente. Se não quiser mais a embalagem, corte-a com uma tesoura para facilitar a retirada.

Já se a escolha também foi sementeira é só regar e tempos depois usar uma faca ou colher para tirar o torrão da muda por inteiro, mantendo as raízes intactas. Caso a terra esfarele, não se desespere. Plante imediatamente, aperte ao redor para compactar bem a terra, deixando a muda bem firme, e regue com abundância para que elas se adaptem melhor ao novo ambiente. Caso tenha danificado Pode ser que a muda não resista

Quanto menos terra for perdida nesse processo, mais forte ficará a planta.

Sempre após transplantar, regue bastante.

Dicas para cultivar pepinos

Veja informações importantes sobre o que fazer desde antes do plantio até aos cuidados durante a época de colheita:

Antes de mais nada, pepino adora água! Regue de forma a manter o solo úmido, mas nunca encharcado. Evite molhar muito as folhas; isso favorece o surgimento de fungos.

Como preparar o solo

O local para o plantio de pepino deve ser preparado cerca de dois meses antes. Esse é o cenário ideal, mas sabemos que muitas vezes é inviável conseguir fazer isso com tanta antecedência.

De qualquer forma, se foi ao mercado e voltou com um envelope de sementes de pepino que não estava nos planos, é hora de preparar o solo onde pretende plantá-los depois de semeados.

Escolha um lugar que receba bastante sol.

Se o local tiver uma terra mais dura, argilosa, que acumule muita água, recomendo retirar uma boa quantidade dela e substituir por terra vegetal, adquirida em agropecuárias ou lojas de jardinagem. Se a terra for bem fofa, basta adquirir os outros itens mencionados abaixo.

Além da terra vegetal compre também 1kg de esterco de aves (ou de gado), calcário e húmus de minhoca. Se quiser reforçar a adubação orgânica, ou seja, natural, compre também farinha de ossos e torta de algodão (ou torta de mamona, se não tiver animais de estimação, pois ela pode ser fatal se ingerida por eles).

Cave uma cova de uns 30, 40cm de profundidade e largura, para cada muda.

Quando faltar uns 20 cm do buraco para ser preenchido, espalhe calcário. Deixe a terra descansar por dois meses até que o calcário já esteja agindo para corrigir a acidez. Acrescente então a farinha de osso e de algodão, um pouco de terra vegetal, esterco, húmus e misture tudo.

Com essa mistura, preencha o espaço onde os pepinos serão plantados, mas não totalmente.

Agora preencha o restante do espaço com terra vegetal e opcionalmente húmus. Não é bom deixar o esterco próximo da superfície; o cheiro pode atrair animais de estimação (e moscas).

O ideal é usar alguma cobertura morta para que o sol não bata diretamente na terra fazendo-a ressecar e endurecer demais. Cubra com folhas secas, palha, lascas de madeira ou argila expandida. Isso evitará também a brotação de plantas invasoras.

Feito isso, regue bem, caso o local seja protegido de chuvas.

Agora o solo está ideal para receber as mudas de pepino dentro de algumas semanas. Claro que se não puder esperar pode plantar na mesma hora em que fizer toda essa preparação. A diferença é que alguns componentes como o calcário demoram um pouco mais para fazer efeito.

Retiradas as mudas, plante os pepineiros no local escolhido, como explicado mais acima na seção “Qual a hora de transplantar o pepineiro”.

No exemplo que usei para preparar este artigo, escolhi três locais diferentes: duas mudas em nossa horta, que é protegida por um sombrite (uma tela que bloqueia um pouco do sol, ventos e chuvas fortes), uma num canteiro lateral que recebe sol praticamente o dia inteiro, mas é protegido de chuvas; e por fim num outro canteiro que recebe apenas algumas horas de sol. Neste último, optei por transplantar uma muda que foi retirada da sementeira quase sem terra, mas preservando as raízes – esta infelizmente morreu.

Uma semana depois de transplantar, as mudas de pepino cresceram bastante e os bracinhos que aparecem em busca de algum lugar para se fixar, começaram a surgir.

Mudas de pepino com poucas semanas de vida
Mudas de pepino uma semana depois do transplante e à direita duas semanas mais tarde

Já em 10 de março, ou seja menos de dois meses após o plantio das sementes, as flores já abriram, foram polinizadas pelas abelhas e outros insetos e os primeiros pepinos começaram a aparecer.

Flores se tornando pepinos

É importante usar uma estaca de bambu, madeira ou uma grade alta, ao ainda pregar alguns ganchos e usar nylon ou melhor, fitilhos para que o pepineiro possa se agarras e subir. Não é bom deixar que a planta fique no chão, pois se os pepinos encostarem na terra podem apodrecer rapidamente, como acontece com os morangos. Sem falar que eles vão tomar conta de todo o espaço.

O que se costuma fazer em plantações grandes é prender duas estacas ou ripas a mais ou menos 1 ou 2 metros uma da outra e amarrar um arame ou nylon no topo. Depois é só amarrar fitilhos, ou outros fios, verticalmente de modo que os pepinos fiquem pendurados.

Uma tela de arame é o modo mais fácil na verdade. Os pepineiros procuram algo para se enrolar, como acontece com pés de chuchu, por exemplo.

Pepinos se espalhando nas grades da horta
Pepinos se espalhando nas grades da horta

Uma vez bem estabelecidas, as plantas podem dedicar energia à produção do que tanto queremos: os pepinos.

Quanto tempo demora para colher pepinos

Contando desde o plantio das sementes, o tempo médio é de 60 a 90 dias, dependendo do clima e das condições do solo.

Colheita dos primeiros pepinos

No exemplo que ilustra este post, plantei as sementes em um 31 de janeiro e num 10 de março os primeiros pepinos começaram a surgir; a colheita das primeiras unidades aconteceu no começo de abril. Esses da foto acima.

Folhas amareladas

O pepino é muito sensível a chuvas e luminosidade. Se o local onde esta plantado não receber PELO MENOS quatro horas diárias de sol as folhas podem amarelar. O contrário também pode acontecer, ou seja, quando a planta está exposta o dia inteiro no sol forte.

Se faltar sol, procure retirar com o uso de uma tesoura de poda bem afiada, algumas (poucas) folhas de modo a permitir que a planta como um todo seja melhor iluminada.

Se o problema for excesso de sol, utilize um sombrite de 30 ou 50% para proteger a planta. Aqui em Santa Catarina usamos sombrite que bloqueia 30% de sol no verão.

Outro causador de amarelamento das folhas é o ácaro. Se perceber pequenos pontinhos, normalmente laranjas, nas folhas pode ser ataque de ácaros. Para combatê-los utilize uma mistura de pimenta, alho e óleo de neem, e adicione sabão de côco ou detergente (só um pouquinho de um ou de outro para ajudar a mistura a grudar nas folhas).

E finalmente: a rega. Pepinos adoram água, mas não precisa exagerar. Solos encharcados são um prato cheio para o surgimento de doenças. Regue com moderação, sempre no início da manhã ou fim da tarde, fazendo o possível para não molhar as folhas. Se as folhas forem molhadas e ainda tiver sol quente, podem ficar com aspecto queimado ou mofado.

Folhas mofadas

Pepino, tomate, morango, abobrinhas… podem apresentar folhas com aspecto de mofo ou uma espécie de fuligem branca. Isso se deve aos fungos Oídio ou Míldio.

Folhas constantemente molhadas favorecem o aparecimento deles.

Para combater isso pulverize as folhas com produtos à base de cobre e cal; mistura conhecida como calda bordalesa, muito utilizada no cultivo de uva.

Outra dica é misturar 1 parte de leite cru para 9 de água e pulverizar bem as folhas ou regar a planta.

Sempre no início da manhã ou depois que o sol não esteja mais tão quente.

Pode usar a rega de 10% leite / 90% água uma vez por semana como forma de prevenção. Se o leite tiver azedado não faz mal.

E por último a poda; cuidado para não podar todas as folhas que estejam com problemas. Se fizer isso radicalmente a planta pode enfraquecer, produzir bem pouco e até morrer.

É isso. Agora é só aproveitar e colher (e comer) bastante.

2 Comentários

    • Olá Rosangele! Pode ser plantado quando começar o calor e enquanto o frio não chegar na sua região. No Sudeste pode plantar mudas (ou sementes) já no final de setembro, enquanto em boa parte do Sul o ideal é no meio ou final de outubro até fevereiro (março no máximo) para que dê tempo de crescer bem colher bastante. 🙂

Deixe um comentário