Como plantar em vasos

É comum termos pelo menos um vaso em casa – ou uma garrafa PET que o substitui bem. As casas e apartamentos estão cada vez menores, principalmente nas grandes cidades. Foi-se o tempo em que todos contavam com o privilégio de ter um quintal para cultivar as queridas (e necessárias) frutas, verduras, flores…

Porém, independente do espaço disponível, é possível cultivar muitas plantas em vasos. O tamanho dos vasos define a planta que você pode ter nele, mas não altera em nada a maneira correta de como devemos prepará-lo para receber as plantas. E é isso que você vai conferir neste artigo.

>>Aprenda a plantar sementes

A diferença entre ter uma planta em vaso ou direto no solo é obviamente a limitação das raízes que constantemente estão em busca de nutrientes. Como elas não podem se espalhar para procurar as vitaminas contidas na terra, nós precisamos fornecê-las com frequência, por meio da adubação.

Outro detalhe importantíssimo que pode definir o sucesso ou fracasso de uma planta em vaso é a rega. As raízes precisam de água, mas também precisam respirar. Não podemos encharcar os vasos e correr o risco de afogar a planta. Mas e se os vasos ficam expostos à chuvas fortes? É preciso preparar corretamente a drenagem desse excesso de água.

Preparando o vaso para receber as plantas

Saiba o que é preciso para que suas plantas possam se desenvolver corretamente em vasos.

Passo a passo para preparar corretamente os vasos para plantas

Materiais necessários

Argila expandida ou brita ou cacos de telhas (a primeira pode ser adquirida em floriculturas, garden centers ou alguns supermercados. Já a brita é vendida em lojas de materiais de construção, mas geralmente apenas em grandes quantidades); no meu caso uso brita que sobra de reformas em casa;

Manta bidim. Bidim é na verdade uma marca, mas é assim que se popularizou a “manta de drenagem”, que nada mais é do que um tecido para evitar que a terra saia e entupa os furos dos vasos; liberando apenas a passagem do excesso de água;

Terra vegetal (ou terra adubada);

Opcionais

Algumas coisas que melhoram a vida da planta, mas que se você não conseguir na hora do plantio podem ser adicionadas depois sem problema nenhum. São elas: Esterco de aves, Húmus de minhoca, Farinha de Osso e Torta de Algodão. Seixos, lascas de madeira ou cascas de Pinus

Mãos à obra!

Passo-a-passo para plantar em vaso

Independente do tamanho do vaso e da planta escolhida (exceção das orquídeas que não são plantadas em terra vegetal) as etapas são as mesmas. Isso vale inclusive para vasos improvisados, como garrafas PET e galões de água ou tinta.

Se for um vaso feito por você, a primeira coisa é fazer furos para drenar a água.

(1) Utilize um alicate para segurar um prego grande (2) enquanto esquenta a ponta no fogão por aproximadamente 1 minuto. Agora encoste no fundo da garrafa PET (ou de outro recipiente escolhido) várias vezes (3) para garantir que a água tenha por onde escoar.

Como fazer furos de frenagem nos vasos

Agora é a vez de adicionar argila expandida, brita ou qualquer outra coisa que sirva para proteger os furos. Não precisa colocar muito. Essa camada é onde ficará o excesso de água, evitando que essa água apodreça as raízes.

Colocando brita no vaso

O próximo passo é a manta de drenagem, conhecida popularmente como manta bidim. É basicamente um tecido que evita que a terra escorra por entre as pedras (ou argila) e consequentemente para fora do vaso. É fácil encontrar a manta de drenagem em qualquer loja de materiais de construção ou de jardinagem. O metro custa cerca de 12 reais (preço de 2016). Caso não consiga encontrar, use um filtro de café, uma camiseta fina ou pano de prato velho. Não é o ideal, mas o importante é que seja um tecido que permita a passagem de água e preserve a terra.

Manda de bidim - drenagem - no vaso

Se o vaso for muito grande, acomodando uma árvore frutífera, por exemplo, eu recomendo o uso de um pouco de areia fina ou média em cima da manta de drenagem. Isso ajuda ainda mais no processo de drenagem, mas diminui o espaço da planta, por isso só use no caso de vasos bem grandes ou que recebam plantas de raízes curtas.

Em seguida é a vez de adicionar um pouco de terra (até a metade do vaso, mais ou menos). De preferência, adquira terra vegetal (ou terra adubada) em floriculturas, agropecuárias ou lojas de jardinagem. Essa terra já vem bem peneirada e conta com uma boa medida de areia e as vezes até com adição de húmus, tornando-a ideal para o bom desenvolvimento das plantas. Pesquise sobre o tipo de planta que vai cultivar. Existem espécies que preferem uma proporção maior de areia, por exemplo.

A hora de colocar a terra no vaso

Agora é uma boa hora para misturar esterco de aves ou de gado, bem curtido, comprado em lojas de jardinagem, já prontos para o uso no jardim. Não é preciso exagerar para não prejudicar as plantas. Eu utilizo uma parte de esterco de aves para cinco, ou seis partes de terra. No caso do esterco de gado pode aumentar um pouco essa quantidade.

Adicione um pouco mais de terra e misture bem. O esterco não deve entrar em contato direto com as raízes. Sempre cubra com um pouco de terra no momento de colocar a planta no vaso.

Se desejar, e tiver disponível, pode adicionar um pouco de adubo NPK (adubo químico) ou Farinha de Osso, Torta de Algodão e Húmus de minhoca (adubo orgânico). No caso do NPK, tome cuidado para não encostar nas raízes.

Agora coloque mais terra, posicione a planta adequadamente (se modo que o topo dela fique um pouquinho abaixo do limite do vaso) e complete com terra, misturada com mais húmus de minhoca, se assim desejar.

Chegou a hora da primeira rega, que é muito importante. O ideal é caprichar. Regue até que a água escorra pelos furos de drenagem, garantindo assim que toda a terra esteja úmida.

Para finalizar, cubra a terra com lascas de madeira, cascas de pinus ou pedrinhas (seixos). Isso ajuda não apenas na decoração, mas a reter a umidade do solo, diminuindo a frequência das regas, e a evitar que a superfície endureça pelo contato direto com o sol; além de diminuir muito o aparecimento de matos indesejados.

Coberturas para os vasos
Lascas de madeira, seixos e britas brancas são algumas das mais populares coberturas/forrações para vasos

Lembre-se que no vaso as raízes estão impedidas de sair atrás de nutrientes. Somos nós quem devemos fornecê-los para as plantas. Isso se faz com uma rega consciente (sem encharcar) e adubação frequente.

Para saber a hora de regar, introduza um palito ou o dedo na terra. Se ela estiver seca, regue; se a terra grudar um pouquinho no dedo ou palito, não é necessário.

Seguindo esses passos, suas plantas em vasos ficarão sempre saudáveis.

Deixe um comentário